A MANGO COLABORA COM O ARTISTA NOVA-IORQUINO SAM STEWART NO SALÃO DO MÓVEL DE MILÃO

A Mango sempre valorizou a sua relação com a cultura. Uma vez mais, este ano, a marca de moda está presente no Salão do Móvel. Na 58 edição, a Mango colabora com o artista norte-americano Sam Stewart para criar montras únicas numa das suas lojas da cidade. Com esta colaboração a Mango reafirma a sua aposta pela cultura e, ao mesmo tempo, dá continuidade ao projeto da temporada #MangoNewVoices que tem como objetivo dar voz e visibilidade aos talentos emergentes e destacar o poder da cultura através da comunidade.

A exposição temporária estará em exibição entre o dia 8 e 24 de abril nas montras da loja da Mango de Milão situada no Corso Vittorio Emanuele.

O conceito

Para a semana do Salão, o artista norte-americano Sam Stewart traz-nos a sua obra mais caprichosa, quase absurda, para habitar as montras da loja, intitulada “Lightworks”. Os principais referentes desta colaboração são a ventilação e o sistema de canalização tão habituais nos passeios de Nova Iorque, onde atualmente Stewart reside e trabalha. A forma curvada e tubular que os transeuntes podem observar é o ponto final de um sistema muito maior e complexo de canos, ocultos à vista, enterrados na terra.

O título da obra brinca com a palavra inglesa “waterworks”: os tubos e canalizações que integram o sistema de abastecimento de água à população. O termo também faz referência à ação de chorar e às lágrimas. Desta forma, a ideia de “Lightworks” sugere a entrega ou a expressão da luz que viaja pelo sistema de tubos.

Para Stewart, os tubos têm um aspeto cómico, como se se tratasse de um totem de Sottsass. “Lightworks ”, título da obra que mistura os tubos e uma substância que emerge de dentro, a luz.

O artista

Sam Stewart (1988, Carolina do Norte) é um artista assente em Nova Iorque que trabalha o design funcional de móveis e objetos domésticos. A forma e a cor das suas criações são o resultado da eclosão dos elementos com o seu presente mais imediato e o seu dia-a-dia em Nova Iorque, como os tubos de drenagem ou os assentos do metro, peças icónicas do século XX e software de modelagem 3D e objetos que invocam as suas lembranças da perceção infantil. O estúdio de Stewart executa o design da forma mais meticulosa possível dando especial atenção ao artesanato e ao uso de ferramentas próprias dos profissionais desta área. Stewart tem por objetivo conseguir um design que abrace a simplicidade, o exagero e os encontros anedóticos com objetos criados.